Emite principal

 

Emite

Lâmpadas UV

Emite

   

 

  Quatro tipos de lâmpadas UV fluorescentes estão disponíveis para o aparelho QUV (e similares):

  A aplicação determina qual tipo de lâmpada deve ser usado. Todas elas reproduzem e conduzem a resultados mais reais do que as lâmpadas comuns.

Todas as lâmpadas possuem eletricamente a potência usual, ou seja: 40 watts.

As várias lâmpadas fluorescentes UV diferem no total acumulado de energia UV que conseguem atingir, na região espectral.

 

Além das informações abaixo que podem auxiliar a escolha das lâmpadas, veja também o arquivo Choice of Lamps.pdf  em Acrobat-PDF (em inglês) sobre o assunto.

 

REGIÕES ESPECTRAIS EM UV:

  As lâmpadas UV fluorescentes são usualmente categorizadas como lâmpadas UVA, UVB ou UVC, dependendo da região em que maior parte de sua irradiação se situa.
O espectro UV está dividido dentro de três regiões:

 As lâmpadas fluorescentes Frias  (Cool White = CWF) têm sido usadas no QUV para reproduzir desvanecimento e mudança de cor causada geralmente pelo tipo de iluminação em escritórios. O nível de irradiação das lâmpadas CWF dentro do QUV é aproximadamente dez vezes maior do que a do ambiente comum.

 

OUTRAS LÂMPADAS

Outros tipos de lâmpadas, de diversas origens estão disponíveis no mercado. Entretanto, embora a classificação ou as normas de especificação possa ser a mesma (ou seja UVB-313 ou UVA-340), elas são feitas para terem irradiações, distribuição espectral e características de duração diferentes. Conseqüentemente elas não podem dar os mesmos resultados como os das lâmpadas Q-Lab.

 

Os aparelhos QUV são projetados para serem usados com lâmpadas Q-Lab. Eles produzem UV, dependendo de calibração, dentro da aplicação requerida para cada nível particular de irradiação. As lâmpadas da Q-Lab obedecem distribuição espectral conforme normas e podem ser acompanhadas de certificado de conformidade.

 

LÂMPADAS UVB

A região espectral das lâmpadas UVB inclui os comprimentos de onda mais curtas encontradas na luz  solar na superfície terrestre. A irradiação UVB é responsável pela maioria das degradações em polímeros. Por causa disso, as lâmpadas UVB são muito usadas para simular a degradação causada pela luz solar externa. Estas lâmpadas têm demonstrado boa correlação com a exposição externa para alteração de brilho em revestimentos e para alteração de integridade dos plásticos.

Entretanto o rendimento dos comprimentos de onda mais curtos pertence a região onde a luz solar não cobre, e por isto  pode causar resultados anormais, especialmente por alteração de cor em plásticos e materiais têxteis. Para as aplicações gerais (diversas), as lâmpadas UVB são muito mais eficientes.

Existem dois tipos de lâmpadas UVB:  UVB-313 e QFS-40.

Elas emitem diferentes quantidades de energia, mas produzem comprimentos de onda na mesma proporção. O pico de emissão destas lâmpadas é de até 313 nanômetros.

 

UVB

 

UVB-313

A lâmpada UVB-313 foi feita especialmente para teste QUV. É o tipo mais usado das lâmpadas fluorescentes UV. Comparada com as lâmpadas QFS-40, produz substancialmente maior emissão de UV e resultados mais rápidos.

O controlador de  irradiação Solar Eye pode ser usado para reduzir o poder de emissão da UVB-313 para imitar a irradiação QFS-40. Isto permite maior vida da lâmpada e minimiza os custos de reposição da mesma.

 

QFS-40

Também conhecida como FS-40, esta é a lâmpada UVB original e tem sido usada no aparelho QUV há anos. Ela ainda é indicada em diversas especificações de indústrias automotivas, particularmente para revestimentos.

 

 

LÂMPADAS UVA

 Indicadas para diversas aplicações a lâmpada UVA permite o espectro mais extenso. As lâmpadas UVA são especialmente usadas para teste de comparação genérica dos diferentes tipos de polímeros. Pelo fato das lampadas UVA não possuirem irradiação abaixo do valor de corte da luz solar, de 295nm, elas não fazem degradação de materiais tão rapidamente quanto as lâmpadas UVB, mas de qualquer maneira são usadas frequentemente e fornecem melhor correlação com o efeito do inetemperismo natural externo real.

 

UVA-340

 

UVA-340

  Esta lâmpada é a melhor indicada para simular a luz solar crítica. A região  UV se situa entre 365nm e ocorte do solar em 295nm. O pico de emissão é em 340nm.

 

UVA-351

 

UVA-351

A lâmpada UVA-351 é recomendada para simular luz solar filtrada pelas janelas de vidro. É muito usada para aplicações interiores em veículos automotivos. Estas lâmpadas são fabricadas com especificação da empresa Q-Lab, para produção controlada e fechada.

 

 

 Tabela das Percentagens indicadas para cada tipo de lâmpada, correspondente
à parcela de irradiância sobre o total da Região Ultravioleta de 260 a 400nm):

(conforme normas ASTM e projeto de norma ABNT)

Faixa, nm

Lâmpada
UVA-340

Lâmpada
UVB-313

Referência
Luz Solar*

260 – 270

0,0%

<0,1%

0

271 – 280

0,0%

0,1-0,7%

0

281 – 290

0.0%

3,2-4,4%

0

291 – 300

<0,2%

10,7%-13,7%

0

301 – 320

6,2-8,6%

38,0-44,6%

5,6%

321 – 340

27,1-30,7%

25,5-30,9%

18,5%

341 – 360

 

 34,2-35,4%

7,7-10,7%

21,7%

361 – 380

19,5-23,7%

2,5-5,5%

26,6%

381 – 400

6,6-7,8%

0,0-1,5%

27,6%

Notas:

A.                  As faixas e valores indicados foram obtidos em medições feitas (internacionalmente), sobre a distribuição espectral para lâmpadas diferentes idades e operando em diferentes níveis de irradiância controlada. As faixas indicadas são baseadas no limite de 3 desvios-padrão da média destes valores. Lâmpadas que atendem estas distribuições disponíveis no mercado, podem ter níveis de irradiância diferentes, mas mantém esta mesma distribuição espectral relativa.

B.                  Os valores de referência de luz solar são mostrados apenas a título indicativo, e foram obtidos da tabela 4 da publicação CIE No 85, de irradiância solar global em uma superfície horizontal com uma massa de ar de 1,0m coluna de ozónio de 0,34 atm cm, 1,42cm vapor de água precipitável e aerosol representada por uma espessura óptica de 0,1 a 500nm.

 

Topo

 

CAMARA DE UV e CONDENSAÇÃO CAMARA DE XENONIO CORROSÃO CÍCLICA GRAVELOMETRO PAINÉIS

DE TESTE

 
           

Emite principal

Atualizado em 20/05/2013